Dorama #01: Descendants of the Sun

, em segunda-feira, 13 de março de 2017 ,
Bookmark and Share

Dorama (ドラマ) é o termo geralmente usado para se referir a séries de TV orientais, sejam elas japonesas (J-drama), coreanas (K-drama), chinesas (C-drama), taiwanesas (TW-drama) ou até mesmo os Live-Actions, aquelas adaptações de mangás ou animes para a vida real.

Eu vejo sempre a Anne Magno comentar sobre um ou outro no twitter, mas nunca tinha assistido nenhum, até que outro dia foi visitar a Ana Letícia e a gente resolveu assistir alguma coisa na Netflix. Como nós gostamos de cultura oriental e deu vontade, pedi uma indicação da Anne, que foi Descendants of the Sun.


Essa cena! *-*

Antes de falar do dorama, me deixem dizer que foi bem complicado gravar o nome dos personagens e eu só gravei mesmo dos principais e de alguns coadjuvantes que me chamaram mais a atenção. Os outros eu chamava pelo cargo exercido. rsrs
Esses coreanos têm uns nomes complicadinhos. kkk

Outra diferença que é bem chamativa é quanto aos gestos de carinho. Para quem está acostumado às produções ocidentais, é preciso lembrar que o costume oriental é bem diferente. Basicamente, até pegar na mão requer um nível de intimidade que não acontece no primeiro encontro, então abraços e beijos são raros. Porém, isso faz com que cada gesto de carinho entre o casal e cada olhar mais prolongado seja cheio de significados e amor "flutuando no ar".

Foi mais ou menos assim quando aconteceu o primeiro beijo: *joga as mãos para o alto, quase pula da cadeira e grita* "AÊEEEEE!"


Para falar a verdade, essa foi minha reação em todos os beijos
e nos abraços também. E em algumas outras cenas. ;P

Então deixem eu falar de Descendants  of the Sun.

Yoo Si-Jin é Capitão do Time Alpha das Forças Especiais da Coréia do Sul e Seo Dae-Young é seu subordinado e o segundo em comando no time. Eles estão de folga após uma missão quando o celular de Dae-Young é roubado por um ladrãozinho que eles interceptam e mandam para o hospital. Assim, os dois vão ao hospital atrás do garoto para recuperar o celular.
Quem está cuidando do rapaz é a Dra. Kang Mo-Yeon e ela não acredita no Si-Jin e no Dae-Young quando eles dizem porque estão ali. Só que o ladrãozinho foge do hospital e se envolve numa briga de gangue, sendo salvo pelos dois soldados.
De volta ao hospital, a Primeira-Tenente Yoon Myung-Ju (que também é médica) aparece porque uma enfermeira atendeu o celular que ela achava ser do ladrãozinho e chamou-a como guardiã dele. A Myung-Ju vai ao hospital pensando que o Dae-Young se machucou e quando chega e o vê bem eles terminam brigando.
Enquanto isso, o Si-Jin consegue ser atendido pela Mo-Yeon, por quem ele está encantado, porque precisa refazer os pontos de uma ferida que teve na última missão. Durante a conversa ele termina convencendo-a a se encontrar com ele. Só que eles vão passar por alguns desencontros porque Si-Jin é chamado para missões a qualquer momento e ela é cirurgiã do hospital, então também é tirada de suas folgas.


Yoo Si-Jin, Kang Mo-Yeon, Seo Dae-Young e Yoon Myung-Ju.

Por ser médica, Mo-Yeon tem problemas em aceitar o emprego de Si-Jin, porque ele mata pessoas, mesmo que seja seguindo ordens e para proteger a Nação. Dessa forma, os dois se separam e passam meses afastados. O que não significa que eles não pensem um no outro.
Da mesma forma, Dae-Young e Myung-Ju estão separados. Eles namoraram por um tempo, porém o pai dela, que é Comandante do exército, interferiu e separou os dois fazendo-os terminar. Porém os dois são apaixonados um pelo outro ainda, mas sofrem muito. Ainda mais porque a Myung-Ju tem patente superior ao Dae-Young.



As coisas mudam um pouco quando a história se transfere para Urk (um país fictício devastado pela guerra). A equipe de Si-Jin foi mandada para lá depois de várias missões tensas, pois apesar de eles terem que manter a paz do local, além de treinar, é um posto relativamente estável. Lá o time e outros militares em formação estão quando uma equipe do hospital de Mo-Yeon chega para vacinar as pessoas e dar cuidados para a população tão carente. É uma missão humanitária associada à ONU.
A Mo-Yeon vai de líder da equipe após ter uma discussão com o presidente do hospital. É aí que ela e o Si-Jin se reencontram e todos os sentimentos ressurgem. Só que o timing, péssimo mais uma vez, separa eles de novo logo depois da chegada dela, pois a missão do Si-Jin lá terminou.
Assim como o Dae-Young é separado da Myung-Ju, que conseguiu uma transferência para Urk para estar perto do seu grande amor, pelo pai dela, que o chama de volta para Seul para dar treinamento aos candidatos às Forças Especiais.


É cada olhar que esse povo troca que me dá até tremedeira. *-*

Si-Jin e Dae-Young estão em Seul quando um terremoto de grandes proporções atinge Urk. Sem saber como estão todos porque as linhas de telefonia entraram em colapso, os dois se juntam a um time destacado para ajudar no resgate dos feridos e voltam para Urk.
E depois disso acontece tanta coisa! Mas isso eu vou deixar por conta de vocês descobrirem assistindo.


Tanto que esses dois sofrem, tadinhos!

O que eu amei no meu primeiro dorama? T-U-D-O!
A ambientação é maravilhosa! Tem uma área em especial de um navio em ruínas que é de babar!
Os personagens são perfeitos. Si-Jin é sério e honrado e faz piadas para aliviar a tensão. Mo-Yeon é determinada e fofa em momentos bem engraçados. Eles dois têm uma química tão linda!
O Dae-Young parece ser todo sério, mas ele é uma gracinha também, e tão apaixonado! E a Myung-Ju tem persistência como nome do meio, porque ela luta pelo amor com unhas e dentes e contra o pai dela! Outro casal que a dinâmica é ótima.
Além deles, a equipe de coadjuvantes é maravilhosa! Tem o alívio cômico com os médicos Song e Chi-Hoon, além das enfermeiras Ha Ja-Ae e Choi. E os soldados do time alpha são uma família tão legal. Ainda tem o Kim Ki-Bum que constrói com o Dae-Young uma relação de irmãos, fofos! Fora o Tenente-General que sempre me faz rir.
Até o pai da Myung-Ju, o Presidente do hospital e o Agus, que são os malas da história, têm cenas muito interessantes de acompanhar.
A verdade é que logo que comecei a assistir, quem primeiro me conquistou foi o Dae-Young com sua aura de sofrimento e coração partido, mas logo o Si-Jin ganhou destaque e eu fiquei apaixonadinha por ele!


Awn!!! Na imagem uma frase do Si-Jin: "Amor nos permite fazer pelo
outro o que ele pode fazer sozinho."

Uma coisa que achei perfeita: os homens choram. Tanto ou mais que as mulheres. Se eles estão sofrendo, eles choram, botam para fora e é tão emocionante! Acho que, como eles são sempre muito contidos - homens especialmente, mas as mulheres também - quando a emoção é grande demais, as lágrimas são o meio mais fácil de exprimir a emoção, sem fazer tanto estardalhaço. (E eu chorava junto quase toda vez, ficando sempre tocada pelas cenas.)

Eu amei tanto o dorama que assisti completo duas vezes em sequência. A primeira na Netflix e depois no site Viki.com, que a Larissa me indicou porque tem zilhares de doramas. E agora eu indico assistirem por esse último, porque tem conteúdo extra (3 episódios especiais de DotS, sendo o 17 e o 18 um resumão e o 19 um especial com os atores falando sobre seus personagens e detalhes da produção) e as legendas são bem melhores - não sei coreano, mas o texto faz mais sentido no Viki que na Netflix.


Sim, essa é a primeira imagem, mas ela precisa ser repetida porque
amo-amo-amo!

Ah, para quem não gosta daquela tortura de saber se a série vai ser renovada ou não, doramas têm temporadas únicas (até onde eu sei - pouca experiência no assunto ainda rsrs) e curtas. (Anne me disse que os chineses são maiores, alguns tendo até 30 episódios.)
DotS tem 16 episódios, com duração de uma hora cada, e foi filmado em 2015 e exibido em 2016.
Curiosidade: o Song Joong-Ki, que interpreta o Si-Jin, tinha acabado de sair dos dois anos obrigatórios de serviço militar, quando foi chamado para a série. E ele se feriu quando filmavam cenas do episódio 14, ficando parado por apenas 2 semanas antes de voltar ao trabalho, mesmo ainda se recuperando.


s2 s2 s2

Quem for dorameiro e/ou já tiver assistido DotS, pode me corrigir se eu tiver dado informação errada.
E devo falar de mais doramas no futuro, pois entrei numa bola de neve de indicações depois de surtar o meu amor por DotS no meu perfil pessoal no twitter e já acumulo uma lista de mais de 30 para assistir. Comecei o segundo: Weightlifting Fairy Kim Bok Joo (A fada do levantamento de peso, Kim Bok Joo).

P.S.: Juntei as músicas de DotS nessa playlist no Spotify, são muito gostosas de ouvir, mesmo não entendendo bulhufas das letras. Kkk

Comentou? Preencha o formulário e participe do Top Comentarista de Março.

Nenhum comentário :

Postar um comentário