#401: Apaixonada por Palavras – Paula Pimenta

, em quinta-feira, 29 de dezembro de 2016 ,
Bookmark and Share

Editora: Guttemberg
Páginas: 160
Ano: 2012

Sinopse (Skoob):
Nos romances das séries “Fazendo meu filme” e “Minha vida fora de série”, Paula Pimenta conta a história de seus personagens. Já as 55 crônicas de “Apaixonada por palavras” contam o próprio dia a dia da autora. Aqui a protagonista é a Paula. Aqui é o destino dela que conta e que se conta. Aqui nos identificamos com ela e torcemos por ela. Aqui nos apaixonamos não por um personagem inventado, mas por uma pessoa de carne, osso, alma e, claro, palavras. (parte da orelha do livro, por Eduardo Loureiro Jr. - Editor do Crônica do Dia) 

Crônica não é o meu estilo de leitura. São textos muito reais e muito curtos, mas eu li os da Paula porque, né, estava aqui na estante já que eu mesma encomendei a compra. E eu gostei. Não é nenhum livro uau, mas os textos são todos bem escritos e alguns são ótimos mesmo. Além disso, me identifiquei com vários deles. (Especialmente o último!)
Mas não dá para resenhar crônicas, propriamente, então eu resolvi comentar as que me deu vontade de comentar e deixar apenas os títulos das que não comentei, porém, acredito que só vá entender bem a maioria dos comentários quem já leu as crônicas, por isso não vou ligar se os comentários de vocês forem cheios de interrogações. Rsrs
No mais, alguém já leu? Quem gosta de crônicas aí?

Regresso da Ilusão acabou tão rápido... Quando me empolguei querendo mais, acabou.
Para cada beijo, uma boca é um típico encontro de garotas, o que eu gosto de chamar, quando reúno as amigas, de clube da Luluzinha.
Sonho: porque sonhos são geralmente estranhos? E pior, porque quando algo de bom pode acontecer, eles acabam antes?
Início de paixão: esse resume bem o sonhar acordado que é essa fase do romance.
Gorducha, baixinha e dentuça: o autoconhecimento é a chave da felicidade.
Apaixonada por palavras: resume bem o que eu e San (uma amiga) gostamos de dizer (“o bem falar é tudo”) e também aquele ditado que diz que “beleza não põe mesa”.
A angústia da espera: entendo totalmente o seu sentimento, Paula! Em se tratando do blog, eu fico assim quando espero por comentários nas postagens e pelas entregas de livros que os Correios simplesmente parecem gostar de atrasar. Rsrs
Regime Sazonal: eu só penso em “vai se danar” e nem sou de responder a esse tipo de comentário. (Ok, quem me conhece pode dizer “mas tu é magra” e eu respondo: ouvir “você está magra demais, né não?” ou coisas do gênero também não é legal.)
Nossa Verdade: não é à toa a existência do ditado “cego é aquele que não quer ver”. Eu aplico muito isso à ficção, por exemplo: para mim o Sirius conhece até as crianças do Harry e é o tio-avô legalzão e descolado.
Marte e Vênus: já me desinteressei de alguém por estar em uma situação complicada com uma ex...
Blecaute: eu lembro da vida sem computador e internet e só consigo pensar que crianças daquela época, como eu, é que sabiam realmente como aproveitar a infância, pois, nossa!, como eu brinquei ao ar livre e era tão bom! Mas hoje sinto falta ao passar muito tempo dos eletrônicos. Ah, o vício e o costume...
Mortos-vivos: um ótimo conselho.
Ala de solteiros ou de casados: rolaram uns goles de água da privada na hora de escrever essa. Mas até que daria um estudo interessante... kkk
O vírus do amor: own, esse foi bonitinho.
Quase uma chance
Platônica crônica: ih... dessas já tive várias... a maior foi por um professor da escola. =P
Realidade virtual: traição é traição, não importa onde. Mundo virtual também é real.
Chico: tem determinadas coisas que são boas mesmo só nas lembranças.
Para o amor entrar
Oh, dúvida cruel: se, sendo sagitariana, eu já sou indisciplinada, quero nem imaginar se fosse geminiana e indecisa assim. rs
Primeiro e único
Eternamente: mesmo que a pessoa se vá o sentimento pode ficar.
Passe de mágica: essa crônica de agosto/2003 sobre Harry Potter continua atual. Muita gente ainda não entende o amor dos fãs e muita gente continua sendo conquistada pelo melhor mundo da magia, Hogwarts.
END: essa tal de tecnologia moderna que mudou a vida de ~quase~ todo mundo.
O sinal da menininha: ser você mesmo é a melhor coisa que uma pessoa pode fazer sempre.
Paz roubada: 2004 ou 2016, nem parece que se passaram 12 anos desde que essa crônica foi escrita, pois se mudou, a situação apenas piorou.
Demoníaca fábrica de chocolate?: concordo bastante.
Ah, se eu estivesse no Big Brother: nunca me imaginei no BBB, acho o programa chato, principalmente depois de tantas edições. Já as novelas... Delas eu gosto.
O verdadeiro assassino: assino embaixo.
Minha mãe: own!!!
Brasil x Argentina
Velhice: não tenho um pingo de vergonha de dizer a minha idade. Aliás, tenho 28 anos recém completados. ;)
Minha coisa preferida
Casa
O filme da minha vida: definitivamente tem partes da minha vida que eu queria rever como em um filme para lembrar de todos os detalhes.
Ausência presente
Tempo de volta: eu não tenho vontade de voltar no tempo...
Viagem ao fundo do armário
Sem fio, sem charme: eu acho que é mais uma questão de ter ou não liberdade de falar exatamente como se quer com as pessoas. Por exemplo, quando meu avô fala coisas que considero besteira para me provocar eu fico calada, se fosse um primo ou amigo eu responderia, e só não respondo o Vô por questão de respeito e dele ser idoso.
Lágrimas
Só pra você
Espécies diferentes: não concordo com essa teoria.
Ai, que vergonha: eu achava que era tímida, mas depois dessa, não sou, não. kkk
À distância
(Ainda) só pra você
Inveja transparente: inveja no sentido do dicionário acho que nunca senti, mas a branca ~ou transparente~ acontece com bastante frequência.
Carta a um futuro namorado: adorei!
Beleza própria
Bem guardado: tenho todas as cartas e bilhetinhos trocados com os amigos guardados em uma caixa. Mesmo daqueles que nem tenho mais contato.
Prioridade
21A: um simples e direto – para alguns até mal-educado – “troco não” seria minha resposta. rs
Goleira de casamentos: eu fujo da muvuca do arremesso de buquê. kkk
A história do meu livro
Amores Mastercard: muito bem dito, Paula!
Ani-versário: também sou uma louca por aniversário, porque é uma data que já está no calendário dos amigos para um encontro oficial da galera. Porque é o meu dia e ponto. Porque mesmo que eu trabalhe para deixar a festa – por mais simples que seja – arrumada, eu vou me divertir e ser muito feliz.

P.S.: Livro 8/20 do Desafio Book Jar 2016. Obviamente, passei longe de cumprir o desafio, mas valeu a experiência. Kkk

Comentou? Preencha o formulário e participe do Top Comentarista de Dezembro.

Nenhum comentário :

Postar um comentário