#390: O Feiticeiro de Terramar – Ciclo de Terramar I – Ursula K. Le Guin

, em quinta-feira, 10 de novembro de 2016 ,
Bookmark and Share

Editora: Arqueiro
Páginas: 176
Ano: 2016

Sinopse (Skoob):
Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda.
Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários.
Publicado originalmente em 1968, O feiticeiro de Terramar se tornou um clássico da literatura de fantasia. Ged é um predecessor em magia e rebeldia de Harry Potter. E Ursula K. Le Guin é uma referência para escritores do gênero como Patrick Rothfuss, Joe Abercrombie e Neil Gaiman.


Ged nasceu em uma aldeia simples em Gont e, ainda criança, descobriu que tinha aptidão para magia. Começou a estudar ainda em sua terra natal, mas ao atingir a idade do rito de passagem seu mestre perguntou se ele queria continuar em Gont ou preferia ir para a escola de magos. A escolha de Ged, alimentada por certa ambição, foi ir para Roke.
Ele se deu bem lá, porém, instigado pela inveja e pelo orgulho, fez algo que não devia e libertou no mundo uma sombra perigosa. Depois desse evento, ele mudou e estudou muito, tentando seguir com sua vida de forma a não atrair a sombra para si novamente. Porém ele precisa encarar seus erros e consertar o que pode ser consertado.

Quando solicitei O Feiticeiro de Terramar achei que ia gostar bastante, porque a capa linda tem um dragão (amo!) e por ser fantasia, porém não gostei tanto assim. Achei a história lenta e sem empolgação e, pior, não consegui me apegar aos personagens.
Ged começa como um garoto imaturo que comete erros, aprende com eles e amadurece bastante durante a história, o que é bom. Porém ele não me passou carisma e não me apeguei. O personagem de quem mais gosto é Vetch, um amigo de Ged que pouco aparece.
A verdade é que passei o livro todo esperando o grande impacto, uma batalha – mesmo que fosse de diálogo – ou algo assim mais forte e nada aconteceu. A parte dos dragões foi o que teve de mais empolgante, porém foi muito rápido. E a grande questão do livro foi resolvida de forma que achei muito insossa.
Se você é super fã de fantasia e quer conhecer uma das histórias originais desse estilo, leia Ursula K. Le Guin. Se você é como eu e prefere histórias mais ágeis, esse livro não é para você. (Eu não pretendo continuar a série.)

Nota: 2,5/5.

Comentou? Preencha o formulário e participe do Top Comentarista de Novembro.

Nenhum comentário :

Postar um comentário