Anime & Mangá #11: Sailor Moon Short Stories

, em segunda-feira, 3 de outubro de 2016 ,
Bookmark and Share

A autora Naoko Takeuchi (acredito eu), não achou justo o sucesso da série Pretty Guardian protagonizada por Usagi Tsukino, por isso lançou capítulos que contam histórias protagonizadas pelas outras heroínas.


No primeiro mangá temos o Diário ilustrado da Chibiusa, são três capítulos protagonizados pela Sailor Chibimoon. Fica claro nas aventuras passadas por ela que ela tem uma maturidade além do que aparenta. Descobrimos que na verdade ela tem 901 anos (lembre-se: ela é do século 30, filha do futuro da Rainha Serenity e do Rei Edymion), ela tem o mesmo nome da mãe: Usagi Tsukino e faz aniversário no mesmo dia: 30 de junho. Uma baita coincidência estranha, haha.
O primeiro capítulo protagonizado por Chibiusa é sobre uma aluna transferida chamada Lilica, ela tem saúde frágil e sempre pede companhia de algum aluno na volta para casa. O curioso é que esses alunos somem. Dias depois, Chibiusa e Kyusuke descobrem que Lilica se alimenta de flores. Ao conversar com as outras guerreiras sailors, elas levantam a hipótese de que Lilica seja uma vampira. Assim, Chibiusa, Kyusuke e Momoko vão investigar na casa da aluna transferida. Eles flagram a mãe de Lilica se alimentando e logo começa aquela correria na mansão de aspecto estranho. Por sorte, Sailor Moon e Sailor V vão ajuda-los e Chibiusa também usa de seus poderes para derrotar as inimigas. Achei um cardápio diferente para vampiros.


O segundo capítulo é sobre um relógio da Sailor Moon, entregue por um ser misterioso no dia de aniversário de Chibiusa e Usagi. A Chibi fica muito feliz com o presente e aproveita a oportunidade, por ser também um relicário, de colocar a foto de Mamoru (namorado da Usagi). Depois, o ser misterioso se revela com um discurso feminista, que devem ser independentes e assume a identidade de Sailor Moon. Mas, sabemos que se trata de uma impostora, tão logo Chibiusa desmascara a vilã de uma forma muito engraçada. E essa pessoa é a princesa tecelã, personagem de uma lenda japonesa, ela é filha do senhor celestial.
A princesa vivia tecendo todas os dias, o senhor celestial não suportando a situação, fez com que ela se casasse com o pastor de gado de outra via láctea. Mas, depois de casarem-se, eles deixaram seus afazeres de lado. Então, o senhor celestial só permitiu que eles se encontrassem uma vez por ano em 7 de julho.
Ela está chateada, porque o pastor de gado não tem se encontrado com elas nesses dias, por causa das chuvas nesse período do ano caírem especialmente na data. Para a princesa, o motivo é que ele a viu sem maquiagem e ficou chocado, por isso a tem evitado. Enquanto ela conta o caso e chora, duas jovens incitam sua dor, inflamando o caso e colocando a culpa no pastor de gado. Chibiusa derrota essas duas inimigas e o pastor de gado aparece para confortar o coração aflito da princesa tecelã. Eu achei divertidíssimo esse capítulo.

A imagem não é do mangá, é apenas para ilustrar.
O último capítulo, foi o que eu mais ri. Usagi e Chibiusa estão com cáries, resolvem ir para um dentista, só que ficam assustadas com os métodos do doutor e saem correndo de lá. No outro dia, veem um anúncio de um dentista novo, Usagi convida Minako (Sailor Vênus) para irem juntas com Chibiusa e o pai de Usagi. No consultório novíssimo, tanto o doutor, quanto sua auxiliar são bonitos. Mal eles descobrem que a comida continha sonífero e que eles são vilões. Confusões a parte, eles são derrotados e os dentes das meninas são tratados.


A fase da guerra do vestibulinho tem dois capítulos.
O capítulo 1 mostra o esforço de Makoto para ser aprovada no teste do colegial. As amigas resolvem estudar juntas com a ajuda de Ami (Sailor Mercury) para conseguirem todas passar. Após enfrentar um inimigo, Mako consegue com muito esforço passar para o colégio Juban.
O capítulo 2 mostra a difícil reação de Ami em relação a cartas de amor, é a sua terceira recebida (ela tem um ataque de urticária). E Ami ganha um rival nos estudos, o apelido dele é Mercurius. Mercury e Mercurius sempre têm a mesma pontuação, a máxima, nos testes que fazem. Ami passa a ser afetada por um espírito maligno, que logo é derrotado pela própria Sailor Mercury, mesmo ainda num acesso de febre.

O capítulo 3 mostra Minako e sua relação com Rei (Sailor Mars), sua curiosidade é saber como é a rotina num colégio feminino. Mina sofre um bocadinho com a nova rotina e está sob disfarce. Um espírito maligno é libertado e se apossa de Rei. Minako, como Sailor, para exorcizá-lo utiliza do ataque da amiga e logo toma fama no colégio.


E, por último, ainda no primeiro volume, temos um extra que conta sobre as amigas de Chibiusa: Naruru Osaka e Ruruna Kobe, que são kogals (que é uma manifestação pop da cultura japonesa, que é usar a pele bronzeada e maquiagem nos olhos bem característica). Elas logo não simpatizam com Horatu (Sailor Saturn) e fica uma disputa pela Chibiusa.
Elas entram numa loja de penhores e lá encontram várias coisas, as kolgals encontram roupas de otaku: os trajes da Sailor Mercury e Eternal Sailor Moon, terminam que compram os vestidos. Depois, elas se encontram em perigo, quase sendo atropeladas, o acidente é evitado pelo gerente da loja. O carro acaba por atingir a loja de penhores e um espírito é libertado. Ele é maligno e se apossa de Hotaru. O gerente, assumindo a identidade de “gorduchinho mask”, acaba por salvar Naruru e Ruruna do perigo. Depois aparecem Sailor Moon e Sailor Chibimoon que salvam a todos.


No volume dois, a primeira parte – O namorado da princesa Kaguya – tem como protagonista Luna (a gatinha preta, que acompanha Usagi). Ela é salva por um pesquisador que sonha ser um astronauta, mas por causa de sua saúde fraca, não pode ser selecionado para ir ao espaço, muito embora seu currículo fosse exemplar.
Himeko, sua amiga de infância, corre atrás da promessa que ambos fizeram quando crianças, de irem a Lua. O pesquisador, Kakeru Ozora, começa a piorar de saúde, até que um dia é internado. Luna tinha convivido esses dias com ele e observado as pesquisas feitas num fragmento que ele achou e batizou de Snow Kaguya. Esse fragmento vinha crescendo e, quando Ozora foi internado, Snow Kaguya, a inimiga pretende atacar o indefeso pesquisador. Luna como estava por perto, chamou Sailor Moon para salvá-lo.
Depois há um novo ataque de Snow Kaguya. Sailor Moon e suas amigas conseguem derrotar a inimiga e ela concede um desejo a Luna, que ela se torne humana por um dia. Luna vai até Kakeru, declara-se e dá-lhe forças para lutar pela vida, permanecer ao lado de Himeko e realizar seu sonho de ir à Lua. É a história mais linda, na minha opinião.


Memória Casablanca é uma história de Rei. Trata de Kaidou, o braço direito do pai de Rei, um político importante. Percebe-se que ela tem um sentimento especial por ele, só que é uma pena descobrir que ele tem uma noiva (choquei e fiquei com muita dó dela). Rei fica triste. Dias depois, percebe que uma caixinha de música que toca uma melodia triste (Rain Tree) pertence ao inimigo. Rei derrota-o com classe e tudo volta ao normal.
“Seilormuun paralelo” traz uma história num universo alternativo, em que as heroínas estão num futuro diferente, casadas e realizadas profissionalmente. Interessante é que Usagi tem mais uma filha, Kousagi, que é também uma guerreira sailor. Ela derrota um inimigo inusitado (um gato gigante), e uma curiosidade (dado a fala da Kousagi): no Japão, eles acreditam que há uma rivalidade de gatos e coelhos (deve ser alguma outra lenda, só supondo aqui, haha).


E no final tem um resumo da trajetória do mangá. Eu gostei bastante desses extras sucessivos, achei que a autora exagerou bem na comédia, o que tornou a leitura mais rápida, fora o traço muito bonito. Espero que tenham gostado das resenhas, essa foi a última da saga Pretty Guardian.


Nota: 5/5

Comentou? Preencha o formulário e participe do Top Comentarista de Outubro.

Nenhum comentário :

Postar um comentário