#343: Vingança da Maré – Elizabeth Haynes

, em sexta-feira, 25 de março de 2016 ,
Bookmark and Share

Editora: Intrínseca
Páginas: 288
Ano: 2013

Sinopse (Skoob):
Depois de trabalhar arduamente por muito tempo alternando um emprego como executiva de vendas durante o dia com o de dançarina de pole dance à noite, Genevieve finalmente conseguiu juntar dinheiro para realizar seu sonho: comprar e reformar um barco e mudar-se para Kent, bem longe da estressante vida em Londres que tanto a aborrece. Tudo parece enfim perfeito. Até que, na festa de inauguração do barco, enquanto amigos de sua velha vida parecem zombar do que agora lhe é tão caro, um corpo aparece boiando próximo ao ancoradouro, e Genevieve reconhece a vítima. Ao perceber seu santuário flutuante maculado, e convencida de que sua vida também está em risco, Genevieve se vê novamente envolvida com o perigoso submundo de corrupção, crimes e traição do qual pensava ter finalmente escapado. E está prestes a descobrir os problemas de misturar negócios e prazer. 


Genevieve era representante de vendas em Londres. Para se distrair ela começou a fazer aula de pole dance e logo a professora perguntou se ela se interessaria em dançar em alguma boate, pois era muito boa. Para complementar sua renda, Genny topou e passou a dançar nos fins de semana, porém sem contar para ninguém.
Com a vinda dessa nova renda, ela logo se viu capaz de realizar um sonho de infância: comprar e reformar um barco. Assim, Genevieve comprou uma barca de 25 metros de comprimento, largou sua vida em Londres e se mudou com tudo o que tinha para o barco, começando a restaurá-lo imediatamente.
Depois de cinco meses de trabalho ainda havia muita coisa a ser feita, porém o básico – cozinha, um quarto e um banheiro funcional – estava pronto e ela resolveu dar uma festa de “inauguração” e convidou os antigos amigos de Londres e os novos amigos da marina do rio Medway.
Ela sabia que os grupos provavelmente não se misturariam muito bem – estilos de vida diferentes demais –, mas queria ver pessoas. Principalmente Caddy, uma das poucas pessoas em sua vida que ela considerava realmente sua amiga. E que poderia ter notícias de Dylan.
A festa foi até boa, apesar de alguns momentos constrangedores, porém Caddy não apareceu e Genevieve bebeu além da conta, influenciada pelos amigos. Exausta, depois que foram embora, ela dormiu, mas foi acordada no meio da noite por batidas constantes no casco do barco.
Meio grogue, Genny levantou para ver o que era e tentar soltar, pois as vezes lixo descia pelo rio e fazia exatamente isso, no entanto, ela ficou em choque quando se deparou com um corpo, o corpo de Caddy, na água. Com seus gritos, os vizinhos a acudiram e logo a polícia chegou. Genevieve não contou para ninguém que conhecia a moça.
Depois disso, ela passou a viver com medo, tentando contatar Dylan a qualquer custo e pensando se o que estava acontecendo tinha relação com um pacote que ele lhe pediu para guardar meses atrás e que estava no depósito do seu barco, disfarçado numa caixa de “artigos para cozinha”.
A morte de Caddy foi só o começo de uma sequência de desastres.

Gosto muito do estilo da Elizabeth Haynes, que começa a história em um ponto onde tudo está normal no presente e, à medida que a situação vai mudando, a personagem lembra do que aconteceu no seu passado que levou ao momento atual. Porém, esse tipo de narrativa também me dá agonia, porque a curiosidade fica super atiçada até eu descobrir o que realmente aconteceu.
Com personagens cheios de falhas de caráter, ela constrói um grupo bastante heterogêneo e muito natural, pois todos são pessoas comuns. Nada de mocinho bonzinho e certinho até o último fio de cabelo ou mocinha dependente e fraca. A Genevieve, ao mesmo tempo que cumpre uma promessa ao pé da letra por meses, se mostra gananciosa. O Dylan é um “leão de chácara” com princípios. Jim é um policial que sabe de seus deveres e quebra algumas regras mesmo assim.
Apesar de eu ter gostado muito da resolução do mistério, esperava um pouco mais de explicações. E fiquei frustrada com um outro aspecto da história que se encerrou muito duvidoso sobre se ia acontecer ou não. Mesmo assim, indico bastante para quem gosta de suspense.

Nota:4,5/5.

Outros livros da autora:

Restos Humanos (quero adquirir – se alguém quiser trocar, entra em contato pelo Skoob)

Comentou? Preencha o formulário e participe do Top Comentarista de Março. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário