#335: Uma Chance para Recomeçar – Friday Harbor I – Lisa Kleypas

, em segunda-feira, 7 de março de 2016 ,
Bookmark and Share

Editora: Novo Conceito
Páginas: 174
Ano: 2014

Sinopse (Skoob):
Victoria morreu em um trágico acidente, deixando sua filha Holly sob a responsabilidade do seu irmão, o solteiro convicto Mark. O tio Mark não se sentia muito preparado para cuidar da menina, mas assumiu o compromisso de devolver o sorriso aos seus lábios. No entanto, ele desconfia de que não esteja fazendo um bom trabalho, uma vez que Holly nunca mais falou desde que ficou órfã. Uma cartinha para o Papai Noel revela um desejo que pode ser a chave da felicidade de Holly: ela só quer ter uma mãe.
Maggie perdeu o marido em uma batalha contra o câncer e não quer jamais - passar por tudo isso de novo. Por isso, ela fechou seu coração e prometeu a si mesma dedicar-se somente a sua nova loja de brinquedos em Friday Harbor, que permite às crianças viajar um pouco nas asas da imaginação. A amizade entre Maggie e Holly (que até passou a acreditar em fadas!) ao mesmo tempo comove e preocupa o tio Mark. Ele tem certeza de que a nova amiga fará bem a sua sobrinha, mas precisa decidir se a deixará entrar em sua própria vida...
Nós também torcemos, do fundo do coração, para que Holly tenha uma linda noite de Natal.


Victoria, Mark, Sam e Alex Nolan cresceram em uma casa em que os pais viviam em guerra e sempre colocavam os filhos no meio. Como resultado, seguiram vidas praticamente separadas ao chegarem à idade adulta, cada um buscando um meio de ser feliz. Vick achou a felicidade na sua filha Holly.
Mark convivia com a criança, mas como um tio despreocupado, aparecendo em feriados e datas festivas e lhe dando presentes de aniversário e natal. Até que Vick morre em um acidente de carro e lhe deixa a responsabilidade de ser o tutor de Holly. Por mais que ele nunca tenha sequer se imaginado como pai, aceita a responsabilidade, pois mandar a pequena Holly para um orfanato ou entrega-la para um dos outros irmãos não é uma opção.
Porém, ele não vai se aventurar a criar uma menininha de seis anos sozinho. Sabendo que seu apartamento com um só quarto e sem quintal não servirá para os dois, Mark convence Sam a aceita-los em sua casa, uma casa antiga que precisa de muitos reparos, mas fica numa das partes mais bonitas na ilha de San Juan e tem muito espaço dentro e fora para uma criança brincar.
Maggie Conroy abriu há pouco tempo uma loja de brinquedos em San Juan, a Magic Mirrors. Quando vê Holly pela primeira vez, tímida e tensa, tenta encantá-la com uma história de fadas. Mark, desconfiado e protetor, se aproxima e fica embasbacado quando a menina acompanha Maggie de boa vontade para ver livros.
Porém ele não gosta muito de Maggie estar falando sobre fadas e coisas mágicas, pois não acredita em deixar que crianças acreditem em coisas que não existem. Mas Maggie é da opinião que a imaginação deve ser incentivada e quando, pouco antes de sair da loja, Holly fala – depois de passar seis meses sem dizer um pio – os dois ficam completamente sem reação, principalmente Mark.
Depois disso, um interesse mútuo começa a florescer entre Mark e Maggie. Só que ela, tendo sofrido muito com a morte do marido, não se vê pronta para um novo relacionamento e, além disso, Mark tem namorada, o que o torna proibido.
Pressionado por saber que Holly quer uma mãe – foi o que a menina pediu numa carta para o Papai Noel que escreveu na escola –, Mark pensa em pedir Shelby, sua namorada, em casamento, porém ele não para de pensar em Maggie.

O que mais me encantou nesse romance, fora o fato de ser uma história de natal – amo! – com uma criança envolvida – amo mais ainda! – foi a mudança que o Mark sofre durante a história. E, junto com ele, os irmãos Sam e Alex.
Mark começa como um homem descompromissado, prático e muito realista, mas o amor incondicional pela sobrinha, que só cresce com o passar das páginas, o muda aos poucos, o suaviza. Conhecer Maggie também o altera, pois ela é uma mulher alegre e imaginativa.
Ela acredita ser alguém sofrida demais e que não tem mais nada para dar em um relacionamento duradouro, por isso está fechada em si mesma e mesmo com toda a família, que é enorme, ao redor se sente sozinha. Holly, e depois Mark, vão abrindo o seu coração novamente, pois eles percebem logo que ela ainda tem muito amor para distribuir.
Indico para quem gosta de romances contemporâneos leves. Infelizmente não sei dizer se a Novo Conceito ou alguma outra editora planejam lançar os demais livros.

Nota: 4,5/5.

Série Friday Harbor:

  1. Uma chance para recomeçar
  2. Rainshadow Road – não vi notícia de que serão lançados no Brasil, seja pela Novo Conceito ou por outra editora.
  3. Dream Lake
  4. Crystal Cove

Comentou? Preencha o formulário e participe do Top Comentarista de Março.

Nenhum comentário :

Postar um comentário