#300: A Fúria dos Cártagos – Contos de Meigan I – Roberta Spindler e Oriana Comesanha

, em segunda-feira, 13 de julho de 2015 ,
Bookmark and Share

Editora: Dracaena
Páginas: 617
Ano: 2011


Sinopse (Skoob):
Meigan é um mundo diferente do nosso, morada de seres especiais e poderosos que se denominam magis.
Na aparência são exatamente como nós, mas as diferenças não podem ser ignoradas por muito tempo. Os magis tem uma relação especial com a natureza e seus elementos, moldando-os a sua vontade e apoderando-se de sua força.
Esses elementos, chamados mantares, não se limitam apenas aos conhecidos fogo, terra, ar e água.
Existem muitos outros, como as sombras, o tempo e até mesmo o controle sobre o próprio corpo. Ter a capacidade de decifrar, entender e interagir com a natureza é um dos principais requisitos para a evolução de um magi.
Para tanto, deve-se, primeiramente, entender que tudo faz parte da mesma manifestação natural e que toda matéria e energia estão inseridas em um processo dinâmico e universal.
Contos de Meigan – A Fúria dos Cártagos começa com Maya Muskaf preparando-se para voltar para casa. Depois de três anos vivendo na Terra, o momento de retornar a Meigan finalmente havia chegado. Estava preocupada, pois algo afetava seu controle sobre os mantares, talvez algum resquício da misteriosa doença que a debilitou durante a infância.
Com medo de estar novamente doente e para conseguir respostas, decidiu deixar de lado as diferenças com sua mãe, a principal governante do mundo magi. Voltaria a Katur, capital de Meigan, e pediria perdão por todas as brigas passadas.
Assim, abandonou sua vida terrena e entrou na primeira caravana que encontrou. Entretanto, seus planos acabaram tomando um rumo muito diferente daquele que imaginara. No caminho de volta, os soldados que a escoltavam acabaram encontrando destroços e um corpo no chão.
Logo que avistou o homem morto, com os cabelos tão brancos quanto sua pele e os olhos inteiramente negros, Maya soube que se tratava de um dos cártagos – antigos magis que traíram seu povo e por isso foram banidos para uma dimensão paralela.
As implicações para tal presença em território magi eram gravíssimas e não demorou muito para que a garota e seus companheiros descobrissem que os magis traidores estavam tomando o Solo Sagrado e derrubado seus portões de defesa. Agora, em meio ao caos de uma violenta batalha, Maya vai precisar lutar para sobreviver e conseguir responder as perguntas que tanto lhe afligem.
Como os cártagos conseguiram acesso ao Solo Sagrado? Onde estavam os guardiões dos portões, os mais poderosos guerreiros de Meigan?
E, a mais importante de todas, conseguiria chegar a Katur a tempo de encontrar sua mãe?

Depois dessa sinopse gigantesca, eu prefiro me abster de resumir a história e passo direto aos meus comentários.
Para começar: Roberta e Oriana são pessoas más. Gente, é sério! O livro terminou de um jeito que meu cérebro travou. Simples assim, travou. O final ficou totalmente aberto! E eu fiquei “mas... mas... mas...”. (Inclusive, a última hora de leitura ficou gravada no meu snapchat para eu não dar spoilers no twitter...)
Uma coisa posso afirmar: é um dos melhores e mais bem escritos livros de fantasia produzido por autor brasileiro que eu li! Muito sério! Na verdade, acho que nesse estilo fantasia-épico é o melhor. Ou melhor, é um dos livros de fantasia-épico que entrou pro meu top de livros da vida! Fiquei encantada, agoniada, torcendo, querendo saber o que aconteceria depois e, o mais importante, os personagens me conquistaram.
Maya é forte, porém cheia de dúvidas. Como qualquer pessoa normal, tem seus momentos de fraqueza e também momentos em que decide logo e vai em frente. Se levar em conta que ela passa por situações super tensas em sequência e consegue sobreviver e seguir adiante sem ficar de chorinho e procurando alguém para resolver os problemas por ela, mesmo que ela fique um pouco dependente de alguns outros personagens, Maya está de parabéns.
Falando nos outros, o meu xodó é o Keyth. Sempre o sábio, muitas vezes aquele tiozão das piadas sem graça, outras o pai com conselhos importantes, ele é o guia em quem Maya consegue suporte para crescer. E o Seth, ai ai, todo misterioso e também cheio de conflitos internos (muito internos mesmo, já que ele praticamente não abre a boca para falar com ninguém). Tem várias outras figuras importantes, mas vou deixar para vocês conhecerem lendo.
Nos jogos políticos de quem é do bem, quem é do mal, quem apoia quem, fui enganada por vários e surpreendida. O que é ótimo!
Acho que minha única reclamação quanto a essa série é que não tem data para o lançamento das continuações, apesar de os livros estarem escritos. (Cadê as editoras investindo nessa maravilha? Preciso do livro 2!!!)
O livro pode ser adquirido diretamente com a Roberta Spindler, entrando em contato pelo twitter ou facebook.


Nota: 5/5 – favorito!

Comentou? Preencha o formulário e participe do Top Comentarista de Julho.

Nenhum comentário :

Postar um comentário