#296: O Nome do Vento – A Crônica do Matador do Rei: Primeiro Dia – Patrick Rothfuss

, em quarta-feira, 24 de junho de 2015 ,
Bookmark and Share

Editora: Arqueiro
Páginas: 656
Ano: 2009

Sinopse (Skoob):
Ninguém sabe ao certo quem é o herói ou o vilão desse fascinante universo criado por Patrick Rothfuss. Na realidade, essas duas figuras se concentram em Kote, um homem enigmático que se esconde sob a identidade de proprietário da hospedaria Marco do Percurso.
Da infância numa trupe de artistas itinerantes, passando pelos anos vividos numa cidade hostil e pelo esforço para ingressar na escola de magia, O Nome do Vento acompanha a trajetória de Kote e as duas forças que movem sua vida: o desejo de aprender o mistério por trás da arte de nomear as coisas e a necessidade de reunir informações sobre o Chandriano - os lendários demônios que assassinaram sua família no passado.
Quando esses seres do mal reaparecem na cidade, um cronista suspeita de que o misterioso Kote seja o personagem principal de diversas histórias que rondam a região e decide aproximar-se dele para descobrir a verdade.
Pouco a pouco, a história de Kote vai sendo revelada, assim como sua multifacetada personalidade - notório mago, esmerado ladrão, amante viril, herói salvador, músico magistral, assassino infame.
Nesta provocante narrativa, o leitor é transportado para um mundo fantástico, repleto de mitos e seres fabulosos, heróis e vilões, ladrões e trovadores, amor e ódio, paixão e vingança.


Um Cronista está viajando quando para em uma estalagem numa cidadezinha. Lá ele reconhece um homem que pode ser uma figura importante e curiosa da Civilização. O homem é o dono da estalagem Marco do Percurso e, depois de algumas conversas e acontecimentos, faz um trato com o Cronista.
Kvothe, o dono, passará três dias contando ao Cronista tudo sobre sua vida. Ele não deve ser interrompido ou questionado. O que o Cronista pode fazer é escrever tudo que ele contar, da maneira que ele contar.
Segredos, esclarecimentos sobre fatos obscuros, coisas pelas quais Kvothe passou e ninguém sabia. Tudo isso foi revelado ao Cronista e a Bast – o auxiliar e aprendiz de Kvothe. Todos os sofrimentos, amores e amizades. Além das aventuras.
Ou melhor, um terço da vida de Kvothe foi revelado. Os demais fatos serão abordados nos demais livros da série.

O Nome do Vento é um livro muitíssimo bem escrito. Kvothe é muito interessante, profundo e cheio de facetas. Porém eu não gostei tanto do livro quanto achei que gostaria sempre que lia comentários sobre ou lia a sinopse, porque a narrativa é um tanto lenta.
Vejam bem, eu adorei, fiquei intrigada, curiosa e chegou um ponto em que grudei na leitura. Mas de um modo geral, achei levemente lento, principalmente no início. Fiquei até sem saber bem o que falar porque li em fevereiro e enrolei meses para escrever a resenha são fatos demais e tudo está relacionado, além de que não gravei tudo. Rs
Estou curiosa para ver saber o que mais acontece com Kvothe e onde a história dele vai dar, mas não ansiosa ao ponto de correr para comprar os demais livros. (Isso é até bom, já que o Patrick Rothfuss não terminou de escrever a saga ainda. Kkk)
Indico para quem gosta de fantasia épica.

Nota: 4,5/5

Série A Crônica do Matador do Rei:
O Nome do Vento
O Temor do Sábio
A Música do Silêncio (conto extra)
The doors of stone (sendo escrito)



Leitura de dezembro do Gêmeas Book Club, escolhido pela Lu.

Comentou? Preencha o formulário e participe do Top Comentarista de Junho.

Nenhum comentário :

Postar um comentário