#222: Moon Called – Mercy Thompson #I – Patricia Briggs

, em sexta-feira, 31 de janeiro de 2014 ,
Bookmark and Share


*livro em inglês*
Editora: Ace Fantasy
Páginas: 288
Ano: 2006

Sinopse (Skoob):
Mercy Thompson's sexy next-door neighbor is a werewolf. She's tinkering with a VW bus at her mechanic shop that happens to belong to a vampire. But then, Mercy Thompson is not exactly normal herself ... and her connection to the world of things that go bump in the night is about to get her into a whole lot of trouble.


Como eu li o livro em inglês (yey! Mais um!), não vou traduzir determinados termos, até por não terem uma tradução literal e eu não saber como ficariam numa edição brasileira, mas tentarei explica-los.

Mercy é mecânica. Ela também é uma shapeshifter – muda de forma em determinados momentos – e se transforma em coyote. Entre suas habilidades especiais estão ótima audição e olfato superdesenvolvido, o que a faz perceber de cara que o garoto que entra na sua oficina em busca de trabalho é um werewolf (lobisomem).
Mac, o jovem werewolf, está fugindo de algo, mas Mercy percebe logo que não deve questioná-lo muito ou ele irá embora. Dias depois de aceitar emprega-lo, Mercy descobre de quem ele está fugindo e pede que Adam – o líder da pack (matilha) da cidade onde ela mora – ajude o garoto.
Pouco depois de Adam aceitar Mac, a casa do Alpha é atacada e Mercy ouve – já que eles são vizinhos – e corre para ajudar. Lá ela encontra Adam praticamente fora de combate, a casa uma bagunça e Jesse, filha do Alpha e amiga da mecânica, desaparecida.
Daí em diante a ação praticamente não para mais. Mercy resgata Adam e foge, levando-o para a cidade do Marrok – o líder dos werewolves da América do Norte – saindo de lá poucos dias depois com ajuda para encontrar os sequestradores de Jesse e descobrir se há traidores na pack de Adam e o motivo do ataque à casa dele.

Mercy é uma personagem forte em todos os sentidos: não se deixa dominar por um líder, tem princípios bem definidos e sabe lutar. Ela também é leal, obstinada e luta sempre pelo que é certo.
Dos personagens masculinos eu ainda não sei qual o que gosto mais. Todos têm aspectos diferentes que chamam a atenção. Bran, Adam e Samuel estão pau-a-pau na disputa pelo posto de preferido no meu coração de piriguete literária.
O jeito como a Patricia escreve é ótimo, ágil e sem explicações demais. Assim, a narrativa é em primeira pessoa e a Mercy explica os aspectos do universo dos preternaturals à medida que as coisas vão acontecendo e sem se estender muito, então não fica maçante ou lento. Mais uma diferença com relação aos livros do gênero que chegam no Brasil é que os personagens são adultos – a Mercy tem 28 anos – e tem experiências de vida que os transformaram no que são. Muita coisa inclusive fica sem explicação e eu acredito que será revelada nos próximos livros.
A editora Novo Século está publicando a série Alpha & Ômega que é spin-off da série Mercy Thompson, mas eu não vi nenhuma notícia sobre a publicação de MT por aqui ainda, se alguém souber fala aí!
Quanto a ser em inglês, a leitura foi tranquila, pois a linguagem é coloquial e simples e os termos específicos dos seres não humanos têm definições disponíveis no Google. =)

Nota: 5/5.

Série Mercy Thompson:
  1. Moon Called
  2. Blood Bound
  3. Iron Kissed
  4. Bone Crossed
  5. Silver Borne
  6. River Marked
  7. Frost Burned


Nenhum comentário :

Postar um comentário