#186: O Natal de Poirot - Agatha Christie

, em segunda-feira, 16 de setembro de 2013 ,
Bookmark and Share

*Livro digital*

Sinopse (Skoob):
Véspera de Natal. A reunião da família Lee é arruinada pelo barulho ensurdecedor de móveis sendo destroçados, seguido de um grito agudo e sofrido. No andar de cima, o tirânico Simeon Lee está morto, numa poça de sangue, com a garganta degolada. Mas quando Hercule Poirot, que está no vilarejo para passar o Natal com um amigo, se oferece para ajudar, depara-se com uma atmosfera não de luto, mas de suspeitas mútuas. Parece que todos tinham suas próprias razões para detestar o velho...


Londres. Natal. Família reunida. Assassinato. São essas as palavras para resumir o primeiro livro da Agatha que li.
Hercule Poirot está passando o dia na casa de seu amigo comissário Johnson quando este é avisado que houve um crime na mansão de um homem rico e importante da sociedade londrina. Por ser a morte de alguém de destaque, Johnson convida Poirot, mesmo que este esteja de folga, a ir com ele para a cena do crime e dar consultoria.
Na mansão da família Lee estão reunidos depois de muitos anos afastados: Alfred e sua esposa Lydia – este sempre morou na casa e cuidou do pai; George e sua esposa Magdalene – político e sovina com uma mulher esbanjadora; David e a esposa Hilda – este saiu de casa há anos, logo que sua mãe morreu, pois não se dava nada bem com o pai; Harry – o filho pródigo; Pilar Stravados – recém chegada e neta não conhecida do patriarca; e Stephen Farr – filho de um antigo sócio do Sr. Lee sênior. Por fim, tem também Simeon Lee, o patriarca e que é assassinado na noite da véspera de Natal.
O crime é complexo: ocorreu em um quarto trancado por dentro, com janelas emperradas e a família que estava no andar de baixo chegou rapidamente à porta do quarto do morto não dando chance do assassino escapulir. Como se deu tudo então? É o que Hercule Poirot precisa descobrir.

Minha primeira experiência com Agatha Christie foi boa, mas não foi demais. Eu gostei da história, não suspeitei em nenhum momento do criminoso -  o que gosto bastante quando leio livros policiais – e achei os personagens interessantes, assim como o jeito de Poirot desvendar tudo. Mas acho que algumas situações poderiam ser mais elaboradas.
Como de um modo geral eu gostei, vou ler outros livros da autora e ver se ela me conquista.
(Alguém sabe me dizer qual é o primeiro livro com o Poirot como personagem principal?)

Nota: 3,5/5.

Nenhum comentário :

Postar um comentário