#140: No Escuro - Elizabeth Haynes

, em sexta-feira, 22 de março de 2013 ,
Bookmark and Share


Editora: Intrínseca
Páginas: 336
Ano: 2013

Sinopse (Skoob):
Catherine aproveitou a vida de solteira por tempo suficiente para reconhecer um excelente partido quando o encontra: lindo, carismático, espontâneo... Lee parece bom demais para ser verdade. Suas amigas concordam plenamente e, uma por uma, todas se deixam conquistar por ele. Com o tempo, porém, o homem louro de olhos azuis, que parece o sonho de qualquer mulher, revela-se extremamente controlador e faz com que Catherine se sinta isolada. Amedrontada pelo jeito cada vez mais estranho de Lee, Catherine tenta terminar o relacionamento, mas, ao pedir ajuda aos amigos, descobre que ninguém acredita nela. Sentindo-se no escuro, ela planeja meticulosamente como escapar dele. Quatro anos mais tarde, Lee está na prisão e Catherine, agora Cathy, tenta reconstruir a vida em outra cidade. Apesar de seu corpo estar curado, ela tornou-se uma pessoa bastante diferente. Obsessivo-compulsiva, vive com medo e insegura. Seu novo vizinho, Stuart Richardson, a incentiva a enfrentar seus temores. Com sua ajuda, Cathy começar a acreditar que ainda exista a chance de uma vida normal. Até que um telefonema inesperado muda tudo. Ousado e poderoso, convincente ao extremo em seu retrato da obsessão, No escuro é um thriller arrebatador.


Li a última frase do livro e pensei “mas que p****! Não acredito que acaba assim! Como pode isso?! Autora f**** da m**! ... É bom... Apesar disso... Agora que nota eu dou? ...”
Me entenderam? Não? Estão confusos? Eu também fiquei. Na verdade, acho que fiquei um pouco frustrada, porque queria um final mais novelesco (acho que essa é a palavra) para esse suspense (eu acho que é um suspense, mas não sei bem como classificar...).
Apesar disso, gostei bastante da história que é toda narrada pelo ponto de vista da Cathy – a vítima – revezando passagens do seu presente e do passado. Não há capítulos propriamente ditos, a narrativa é escrita sem muito espaço, apenas a data dos fatos narrados dividindo o texto e nos levando ao passado sofrido ou ao presente de reconstrução.
Não vou resumir a história como geralmente faço e deixo vocês apenas com a sinopse, pois o mais interessante é descobrir o que aconteceu à medida que Cathy se sente confortável para contar para as pessoas com quem se relaciona e, indiretamente, para nós, leitores.
No escuro fala de medo, de transtorno obsessivo-compulsivo, de violência doméstica e de como superar traumas aparentemente insuperáveis. Mostra também que amizade e companheirismo são imprescindíveis. Enfim, aborda assuntos que muita gente não gosta de discutir.
Para quem não gosta de leituras com o pé na realidade (os dois, nesse caso), eu não indico. Mas quem gosta de equilibrar seus estilos de leitura pode arriscar nesse com certeza.


Nota: 4/5.


Nenhum comentário :

Postar um comentário