Estão lendo lá fora #2

, em quarta-feira, 19 de dezembro de 2012 ,
Bookmark and Share


As editoras estão puxando o meu tapete e adquirindo os livros mais legais antes que eu possa falar deles para vocês, como foi o caso recente da série The Wheel of Time do Robert Jordan, que será relançado aqui no Brasil pela Intrínseca. Por causa disso, estou tendo que encontrar livros ainda quentinhos no forno ou tão velhos quanto eu para ter assunto por aqui. Que coisa, não?

Mas antes de falar das obras que ainda não traduziram para o Brasil, vou comentar a respeito do goodreads.com, que é, basicamente, um Skoob exclusivamente na língua inglesa, e o lugar onde eu consigo minhas dicas de leitura! Se quiserem saber dos lançamentos em inglês com mais rapidez, lá é uma ótima rede social para isso, porque eles são um tantinho mais rápidos em atualizar do que o Skoob, e os fóruns de discussão são mais user-friendly.


Esse mês vou falar de livros individuais, porque a maioria das séries maneiras já foram devidamente pescadas pelas editoras brasileiras. Digo "individuais", mas os livros que listarei estão na febre da trilogia e provavelmente não ficarão solitários por muito tempo. Vou me esforçar para traduzir as sinopses da melhor maneira possível!

Primeiro da série "Guards of the Shadowlands"

Sinopse original do GoodReads:
“My plan: Get into the city. Get Nadia. Find a way out. Simple.”

A week ago, seventeen-year-old Lela Santos’s best friend, Nadia, killed herself. Today, thanks to a farewell ritual gone awry, Lela is standing in paradise, looking upon a vast gated city in the distance—hell. No one willingly walks through the Suicide Gates, into a place smothered in darkness and infested with depraved creatures. But Lela isn’t just anyone—she’s determined to save her best friend’s soul, even if it means sacrificing her eternal afterlife.

As Lela struggles to find Nadia, she’s captured by the Guards, enormous, not-quite-human creatures that patrol the dark city’s endless streets. Their all-too-human leader, Malachi, is unlike them in every way except one: his deadly efficiency. When he meets Lela, Malachi forms his own plan: get her out of the city, even if it means she must leave Nadia behind. Malachi knows something Lela doesn’t—the dark city isn’t the worst place Lela could end up, and he will stop at nothing to keep her from that fate.
 Tradução do Colecionadores de Histórias:
"Meu plano: entrar na cidade. Pegar a Nadia. Encontrar uma saída. Simples." 

Há uma semana, Nadia, a melhor amiga da adolescente de dezessete anos Lela Santos, cometeu suicídio. Hoje, graças a um ritual de despedida que deu errado, Lela está no paraíso, observando no horizonte uma vasta cidade gradeada - o inferno. Ninguém atravessa voluntariamente através dos Portões do Suicídio, adentrando em um lugar esmagado pela escuridão e infestado por criaturas depravadas. Mas Lela não é uma pessoa comum - está determinada a salvar a alma de sua melhor amiga, mesmo que isso signifique o sacrifício de sua vida eterna após a morte.

Enquanto Lela luta para encontrar Nadia, é capturada pelos Guardas, criaturas enormes e não-exataente-humanas que patrulham as ruas infinitas da cidade das trevas. O líder muito-humano dos guardas, Malachi, difere deles em todos os sentidos, com exceção de um: sua eficiência mortal. Quando encontra Lela, Malachi forma seu próprio plano: tirá-la da cidade, mesmo que isso signifique deixar Nadia para trás. Malachi sabe algo que Lela desconhece - a cidade das trevas não é o pior lugar onde Lela pode acabar, e nada o impedirá de mantê-la longe desse destino.
Vi muitas reviews favoráveis sobre a história, por isso resolvi compartilhá-la com vocês mesmo não tendo lido (ainda). A média de aprovação no GoodReads é quase 5 (que é o máximo), e a maioria das pessoas concorda em determinados pontos sobre a história, que são: personagens cativantes; uma heroína balanceada e deliciosamente imperfeita; boa dinâmica entre personagens; e o principal, na minha humilde opinião, que é o fato do romance da história NÃO substituir a história. Faz parte dela, mas não de uma forma enjoativa ou idiota. Também aclamaram muito o fato do final não ter sido do tipo "OH MEU DEUS, ELA VAI TERMINAR ESSA HISTÓRIA AÍ???", apesar de se tratar de uma série.

Primeiro da série "Lunar Chronicles"

Sinopse original no Skoob:
Humans and androids crowd the raucous streets of New Beijing. A deadly plague ravages the population. From space, a ruthless lunar people watch, waiting to make their move. No one knows that Earth’s fate hinges on one girl. . . . Cinder, a gifted mechanic, is a cyborg. She’s a second-class citizen with a mysterious past, reviled by her stepmother and blamed for her stepsister’s illness. But when her life becomes intertwined with the handsome Prince Kai’s, she suddenly finds herself at the center of an intergalactic struggle, and a forbidden attraction. Caught between duty and freedom, loyalty and betrayal, she must uncover secrets about her past in order to protect her world’s future. In this thrilling debut young adult novel, the first of a quartet, Marissa Meyer introduces readers to an unforgettable heroine and a masterfully crafted new world that’s enthralling.
Tradução do Colecionadores de Histórias:
Humanos e andróides apinham as ruas desordenadas de Nova Beijing. Uma praga mortal devasta a população. Do espaço, o impiedoso povo lunar observa, esperando o momento para agir. Ninguém sabe que o destino da Terra está parafusado a uma única garota... Cinder, uma mecânica talentosa, é um cyborg. Ela é uma cidadã de segunda-classe com um passado misterioso, destratada por sua madrasta e culpada pela doença de sua irmã postiça. No entanto, quando sua vida se entrelaça à do belo Príncipe Kai, ela se encontra repentinamente no centro de um conflito intergalático e de uma atração proibida. Apanhada entre o dever e a liberdade, lealdade e traição, ela precisa descobrir os segredos de seu passado para poder proteger o futuro de seu mundo. Nesse livro excitante de estreia, o primeiro de um quarteto, Marissa Meyer introduz os leitores a uma heroína inesquecível e em um novo mundo tão magistralmente criado que enfeitiça.
A boa notícia é que a editora Rocco já adquiriu os direitos de publicação desse livro! A premissa de reinventar contos de fadas não é uma novidade, mas a visão grandiosa e futurística da autora, combinada com esses Sailor Moon feelings, deixam a história bem suculenta, não acham? O segundo livro do quarteto já saiu pelos States, com o título de Scarlet - acertou quem acha que o livro dois se baseia na Chapeuzinho Vermelho!

E aí, acham que vale a pena esperar por esses livros? Ou é mais negócio esquecer a paciência e ler logo na língua original?

Nenhum comentário :

Postar um comentário