#79: A Descoberta das Bruxas - Deborah Harkness

, em quarta-feira, 25 de julho de 2012 ,
Bookmark and Share

Editora: Rocco
Páginas: 640
Ano: 2011

Sinopse (Skoob):
A respeitada pesquisadora Diana Bishop passou a vida tentando negar a sua verdadeira identidade. Filha única de pais bruxos, ela se torna órfã aos sete anos e passa a rejeitar as suas habilidades mágicas, determinada a se parecer o máximo possível com os humanos. Quando descobre acidentalmente um misterioso manuscrito escondido há séculos, Diana traz à tona um mundo sobrenatural aterrador, com uma horda de demônios, vampiros e bruxas. A partir daí, a aventura de Diana por 1.500 anos de histórias está apenas começando.
Livro de estreia de Deborah Harkness, A Descoberta das Bruxas alcançou, já na semana de lançamento nos Estados Unidos, o segundo lugar na concorrida lista dos mais vendidos do The New York Times, e permanece no prestigioso ranking há oito semanas. O motivo do sucesso está na mistura de magia, romance e thriller de ação na qual a personagem principal, Diana Bishop, é tragada contra a vontade para um turbilhão de conspirações e disputas de poder em torno do exemplar perdido Ashmole 782.
O manuscrito, redigido pelo alquimista Elias Ashmole, é encontrado por Diana na biblioteca em que pesquisa. Ao tocar o livro, ela sente uma atração irresistível por ele, algo poderosamente mágico, que a faz levá-lo para casa. O que ela não imagina é que o manuscrito é procurado há anos, e cobiçado por seres que ultrapassam a esfera humana, como demônios e vampiros.
Um dos interessados na obra do alquimista é Matthew Clairmont, um geneticista com paixão por Darwin. Charmoso e misterioso, apesar da aparência jovem, Matthew vaga pela Terra há mais de 1.500 anos. O vampiro se aproxima de Diana, despertando nela uma forte desconfiança de que, por trás de todo o seu galanteio, se esconda apenas o interesse em obter o livro. Os motivos de sua busca pelo exemplar não são revelados, mas o afeto dele pela poderosa bruxa não demora muito a ficar claro. Diana, relutante em assumir sua natureza de bruxa, também resiste a admitir seus sentimentos pelo vampiro. O casal, no entanto, não demora a se formar.


Devido à extensa sinopse que já diz bastante sobre o enredo do livro e o adiantado da hora – escrevendo resenha às 3:30 da manhã..., me aterei a tecer uma opinião sobre a obra.
Diana é uma personagem incrível e muito bem construída, leva uma vida totalmente independente e o mais afastada da magia possível, é vulnerável e forte ao mesmo tempo. Matthew Clairmont é um autentico cavalheiro e guerreiro, daqueles bem protetores.
A dúvida em quem Diana pode confiar e com quem contar, além das dúvidas sobre quem ela é e o que pode fazer com aquilo, me mantiveram ligada ao livro querendo saber mais e mais o que viria para ela enfrentar. Eu ri, me angustiei, torci, suspirei e mergulhei na história.
Há suspense, há conflito secular, há briga de espécies e tudo isso – ao final – me fez imaginar com Diana fará para resolver todos os problemas que a descoberta do Ashmole 782 trouxeram para sua vida e para a vida daqueles a quem ela quer bem.
Além dos protagonistas, os demais personagens – por menos que apareçam – são bem desenvolvidos e não simplesmente surgem no meio da história.
Muitas citações e referências a expoentes da química, física, medicina e outras áreas mostram um cuidado na pesquisa para a obra e no trato sobre a alquimia. E deixam Diana e Matthew, que são acadêmicos renomados, mais verídicos, críveis, apesar de suas habilidades sobrenaturais.
Meu desejo agora é que a Rocco lance logo o segundo volume dessa série para que eu possa desvendar mais segredos de bruxas, vampiros e demônios.

Conhecendo Matthew, eu não conseguia parar de pensar em como Edward Cullen é um vampirinho de nada. E não me levem a mal, eu gosto da série Twilight, mas não consegui não comparar. Matthew é muito melhor e agora mora no meu coração.

Nota: 5/5.

Nenhum comentário :

Postar um comentário