#76: O Clã dos Magos - A Trilogia do Mago Negro - Trudi Canavan

, em sexta-feira, 13 de julho de 2012 ,
Bookmark and Share

Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
Ano: 2012

Sinopse (Skoob):
Todos os anos, os magos de Imardin reúnem-se para purificar as ruas da cidade dos pedintes, criminosos e vagabundos. Mestres das disciplinas de magia, sabem que ninguém pode opor-se a eles. No entanto, seu escudo protetor não é tão impenetrável quanto acreditam. Enquanto a multidão é expurgada da cidade, uma jovem garota de rua, furiosa com o tratamento dispensado pelas autoridades a sua família e amigos, atira uma pedra ao escudo protetor, colocando nisso toda a raiva que sente. Para o espanto de todos que testemunham a ação, a pedra atravessa sem dificuldades a barreira e deixa um dos mágicos inconsciente. Trata-se de um ato inconcebível, e o maior medo da Clã de repente se concretiza: uma maga não treinada está à solta pelas ruas. Ela deve ser encontrada, e rápido, antes que seus poderes fiquem fora de controle e destruam a todos.


Os magos de Irmadin são uma classe abastada: almejada pelos moradores das Casas; temida e odiada pelos habitantes das favelas. Os mais pobres não são bem vistos nas Casas ou no Clã, até que uma favelada atinge um mago com uma pedra apesar da barreira protetora.
Sonea é jovem e está sendo obrigada a voltar para as favelas depois de uma temporada morando dentro dos muros da cidade com os tios. Durante a expulsão, ela se perde dos parentes e termina rodeada por pessoas atirando pedras e outras coisas contra os magos. Por toda a raiva que está sentindo, ela também joga uma pedra e faz o impossível: atravessa a barreira, machucando um mago.
Apavorada com o que pode lhe acontecer, ela corre e se refugia com amigos antigos de quem havia se afastado: Harrin e Cery. Estes usam de meios não muito corretos para se manter e ter certa proeminência dentro das favelas. Quando sabem que Sonea está sendo procurada pelos Magos, se dispõem a esconde-la.
O Clã se mostra abismado com a garota selvagem que parece ter despertado a magia sem ter sido ensinada a tal. Por isso, eles precisam acha-la e ajuda-la ou ela será um perigo a si mesma e a muitos que estejam a seu redor no dia em que sua magia se liberar totalmente fora de controle.
No intento de encontra-la vários Magos se mobilizam e são liderados por Lorde Rothen e Lorde Dannyl. Estes têm bons intuitos quanto à garota e gostariam de ajuda-la com seu poder recém-descoberto. Em contrapartida, há Lorde Fergun, que foi atingido pela pedra e humilhado, e também está procurando por Sonea para orienta-la, não se sabe para que caminho.
Para descobrir que caminho Sonea seguirá, leiam O Clã dos Magos, primeiro volume da Trilogia do Mago Negro de Trudi Canavan.


Sonea é uma personagem interessante e bem construída com valores fortes e bastante perspicácia. No entanto, não é minha personagem preferida. Eu gosto mesmo é de Rothen – com seu jeito meio paizão –, de Dannyl – um tanto displicente e muito cativante – e Cery – por ser atencioso e carinhoso.
A história tem clara influência medieval, o que me agrada bastante, mas o uso de termos como “cê” e “tá” me deixou muito incomodada, mesmo sendo usado na linguagem dos personagens moradores das favelas. Há também o uso de gírias, mas essas são passáveis. Terminei por acostumar com as abreviações coloquiais, mas não gostei.
A leitura do livro foi tranquila. Eu queria descobrir o que ia acontecer a seguir, mas não estava desesperada. Até que cheguei às últimas 100-50 páginas e muitas coisas aconteceram, algumas angustiantes, e me fizeram grudar no livro até acabar.
Então leiam e mergulhem no mudo do Clã dos Magos de Kyralia.

Nota: 4,5/5 – pelas últimas 50 páginas, mais ou menos, que foram eletrizantes.

Nenhum comentário :

Postar um comentário