#61: Em busca de WondLa – Tony DiTerlizzi

, em terça-feira, 5 de junho de 2012 ,
Bookmark and Share

Editora: Intrínseca
Páginas: 400
Ano: 2012

Sinopse (Skoob):
Eva Nove tem doze anos e sempre morou com Mater, uma robô azul-clara extremamente amorosa e maternal, em um abrigo subterrâneo ultratecnológico no planeta Orbona. Quando um estranho invade e destrói o lar que as duas dividem, a menina é obrigada a fugir para a superfície — um mundo que ela só conhece por meio de holoprogramas. Apesar do perigo, é a primeira chance que tem de perseguir seu maior desejo: encontrar alguém como ela, outro humano. Eva sabe que eles existem porque guarda um item valioso: uma ilustração de uma garotinha, um adulto e um robô, junto de uma estranha palavra: “WondLa”. A busca vai levá-la a descobertas que vão muito além de suas maiores expectativas, em uma jornada surpreendente, divertida e emocionante, que vai tirar o fôlego do leitor e inspirar muitos sonhos.


Em Busca de WondLa é o primeiro livro de uma trilogia juvenil (de cara eu tinha classificado como infanto-juvenil, mas tem uns termos mais complexos e a história em si é mais pesadinha do que a maioria dos infanto-juvenis).
Sabem aquele momento em que você abre o seu livro novo e toma um porre daquele cheiro gostoso? Bookaholics fazem isso. ^^ Nesse livro o porre é de giz de cera, pelo menos, foi isso que o cheiro dele me lembrou. Porque ele é todo ilustrado! E lindo!


Eva Nove passou os primeiros 12 anos de sua vida sem sair de casa, o Santuário, e sem conhecer outros humanos. Os únicos seres com quem ela conversa são Mater – a robô que sempre cuidou dela –, o Onipod e o próprio sistema do Santuário.
Além de brincar e assistir a holoprogramas direcionados para sua idade, Eva passava o tempo sendo treinada para sobreviver na superfície, para onde irá quando estiver mais velha e, à avaliação de Mater, pronta para os desafios do desconhecido.


Só que o Santuário é atacado por um monstro e Mater manda a garotinha para a superfície para salvar sua vida. Quando Eva se vê naquele mundo novo ela estranha, pois nada do que está ali se parece com o que a robô lhe mostrava em seus treinamentos. As árvores andam os Ents estão de volta! >.< e as pedras voam.
O Onipod, que deveria ajuda-la reconhecendo as plantas e animais e dando dicas do que fazer, não identifica nada a sua volta e deixa Eva desamparada, tendo que seguir seus instintos. Além da ordem de Mater de se afastar o máximo possível de casa.
Mas Eva não tem mais ninguém e resolve voltar para procurar a única criatura que conhece e por quem tem grande afeição. Nessa aventura, ela conhece um ser esguio e azul, o senhor Andrílio Kitt – um nômade que passa a ajudar Eva apenas até que ela encontre Mater e alguma pista dos outros humanos que vivem em Orbona.


O time da garota ganha um outro membro quando ela salva um beemote couraçado do monstro que atacou seu Santuário. Ele fica muito grato a Eva e passa a transporta-la para os lugares que precisa ir e ela o chama de Otto. Bichinho de estimação fofo.
Saiba mais sobre a relação de Eva com seus novos amigos, sobre os animais e plantas estranhos de Orbona e sobre os perigos que eles enfrentam lendo Em Busca de WondLa.


Eva é criança, mas isso não interfere na história, mesmo quando vemos as atitudes que ela toma, pois ela amadureceu rápido devido ao seu treinamento. E mesmo sendo bastante sensata em muitas situações, ela ainda tem momentos de birra que toda criança tem. Além disso, suas decisões são tomadas baseadas nas informações e conselhos dos amigos adultos.
A edição em si é de um capricho que me deixou encantada. A cada início de capítulo há uma imagem em página dupla e eu demorava analisando o que aparecia, pois há relação direta com o que nos é narrado no capítulo que ela inicia. Além dessas, há algumas poucas imagem esparsas dentro do texto que apenas ajudam a visualizar o universo como o autor o imaginou.
Estou ansiosa pela continuação.


“Viver apesar das dificuldades.”

Nota: 5/5.





Nenhum comentário :

Postar um comentário