Resenha #19: Qual seu número? - Karyn Bosnak

, em terça-feira, 13 de dezembro de 2011 ,
Bookmark and Share

Editora: Novo Conceito
Páginas: 414
Ano: 2011

Sinopse (Skoob):
Delilah Darling tem quase 30 anos e já se relacionou com 19 rapazes. Sua vida sentimental não tem sido exatamente brilhante, pois todo cara que conhece parece fugir do relacionamento. Quando lê uma matéria no jornal em que a média de homens para uma mulher de 30 anos é de 10,5, fica desesperada e assustada por estar muito acima dela. Além de tudo, o artigo no jornal terminava falando que, se a mulher tivesse o número acima dessa média, seria impossível a pessoa certa. Na tentativa de não aumentar seu número e perder de vez a chance de se casar, Delilah sai à procura de seus antigos namorados e tenta reconquistá-los. Será que um deles estará disposto a esquecer o passado e começar uma linda história de amor? Qual Seu Número? revela os segredos de cada mulher e prova que, quando se trata de assuntos do coração, números são apenas uma fração de tempo.


Para começo de conversa, eu estava com uma expectativa muito alta sobre esse livro e, acredito que por isso mesmo, fiquei um pouco decepcionada. O livro é muito bom, mas não é ótimo.

Conheçam Delilah Darling, mulher de 29 anos e solteira. E, segundo ela própria, uma mulher fácil.
Ela chega a essa constatação após ler no New Yourk Post uma matéria sobre a quantidade média de homens na vida de uma mulher. De acordo com o teste, Delilah já está bem acima da média e se aproxima de uma marca que, segundo a matéria, define que ela provavelmente não se casará nunca.
Então Delilah decide que é hora de parar com os namoricos e casinhos e focar na escolha do homem da sua vida.
Para que esse projeto se realize, ela resolve listar todos os caras com quem se envolveu e analisar o que a levou a ficar e a terminar com eles. Então Delilah é demitida do emprego e resolve que o melhor a fazer é procurar os homens com quem esteve – excluindo os gays e casados –, pois um deles deve ser o cara que ela está procurando.
Nós ficamos sabendo também que a irmã mais nova de Delilah, Daisy, casará com Edward, um empresário bem sucedido. O que quer dizer que a pressão aumenta para a protagonista, pois – apesar das modernidades – a família ainda cobra, mesmo que levemente, aquela coisa da irmã mais velha casar primeiro.
Para localizar todos os ex-namorados sobre os quais Delilah acha que pode haver uma chance, ela pede que seu vizinho da frente os busque: endereços, estado civil e preferência sexual. Colin estranha os itens da pesquisa e Delilah dá uma desculpa meio fraca.

O livro é cheio de parênteses e notas de rodapé, algumas delas inseridas pela própria autora, pois Delilah gosta de ambos os itens textuais.
O livro é divertido e envolvente, mas – considerando tudo que li sobre ele – achei que riria muito mais, o que não aconteceu e me decepcionou um pouco.
Em alguns pontos eu fiquei com vontade de dar umas sacudidas na Delilah, porque ela é muito cega! As coisas acontecem e ela não percebe o que significam e tal.
Colin é ótimo. Um charme e fonte de periguetagem literária maravilhosa. Também gosto da irmã, Daisy, e da amiga de Delilah, Michelle.
Vários dos caras com quem a protagonista esteve são otários ou babacas, mas têm alguns com potencial e outros são legais.

Nota: 3,5/5.

Camila Araújo

Nenhum comentário :

Postar um comentário